Dr. Gustavo Korn

19/03/2012

Dr. Gustavo, há menos de um mês para o início da Campanha da Voz, gostaríamos que contasse um pouco sobre a etapa final de preparativos para a data.

G.K: Estamos com tudo muito bem encaminhado e dentro do prazo esperado. A reforma no modelo inflável da laringe está correspondendo às expectativas e ela ficará pronta dentro de duas semanas. As fotos com a atriz Deborah Secco também já foram feitas, e os cartazes e folders da Campanha estão sendo produzidos. Todo este material será disponibilizado antecipadamente para download no site da ABLV, bem como as fichas de atendimento. Como já estamos bem próximos da Campanha, tivemos o apoio da ABORL-CCF e, especialmente, do Dr. Marcelo Hueb, para que todo conteúdo gráfico [inclusive as fichas] fosse enviado por Sedex para os coordenadores. Este material chegará bem mais rápido e sem qualquer tipo de custo. Outro ponto gratificante e que nos deixa muito feliz, é que um número cada vez maior de serviços tem procurado a ABORL-CCF demonstrando interesse em participar dos atendimentos na campanha. Esta notícia é, sem dúvida, muito animadora para a gente.

Qual o diferencial da Campanha da Voz estar agregada à "Campanha Caminhos da ORL", idealizada pela ABORL-CCF?

G.K: O fato de estarmos fazendo a nossa campanha em conjunto com a "Caminhos da ORL" mostra, acima de tudo, a união da nossa área. Manter unidas a otologia, rinologia e laringologia reflete todo o poder da nossa especialidade, e comprova que somos uma unidade: a otorrinolaringologia. Além do inflável da laringe, estarão expostos também o nariz e o ouvido gigante. Dentro da carreta da Campanha, será possível que a gente ministre aulas em um ambiente muito mais confortável, além de esclarecer dúvidas. Acredito que isto chamará ainda mais a atenção do público para a nossa iniciativa. E temos também o apoio do Ministério da Saúde às nossas campanhas, conseguido graças a um grande esforço da diretoria da ABORL-CCF. Esta conquista, com certeza, deve ser destacada como um diferencial.

Este ano a ABLV pôde aprimorar o projeto da laringe gigante da Campanha. Como foi o processo de reforma?

G.K: Todo o processo começou em novembro, mas esta era uma ideia que a gente já tinha desde a Campanha de 2011. Quando a laringe foi criada, nós ainda não estávamos acostumados com os aspectos que um órgão humano poderia ter quando colocado na forma de um balão inflável. Desde a primeira exposição, porém, fizemos observações para tentar aprimorar o projeto. O primeiro passo foi verificar a viabilidade da reforma, para saber se conseguiríamos mudar tudo da maneira como pretendíamos. Em dezembro nos reunimos com a Air Fly (empresa responsável pela produção dos infláveis) e ficamos muito contentes ao saber que as reformas seriam viáveis. O passo seguinte foi ver os custos financeiros, que, naturalmente não eram baixos. Para isso, precisamos da ajuda da nossa entidade mãe, a ABORL-CCF, que através do presidente Dr. Marcelo Hueb não hesitou esforços para nos ajudar financeiramente. Temos acompanhado a reforma semanalmente, vendo o que falta e aprovando cada modificação, e o andamento tem sido animador.

O que o público encontrará de diferente quando entrar este ano pela laringe?

G.K: A laringe gigante está com 8 metros a mais de comprimento e com algumas estruturas modificadas. Os visitantes agora poderão entrar pela boca e sair pela região da traqueia. Antes a pessoa entrava e saía pelo mesmo lugar, dificultando um pouco o fluxo e o acesso às informações. Para melhorar isto, tentamos concentrar um número maior de informações do lado direito do inflável, para que o outro lado ficasse mais livre para quem quiser só observar rapidamente. Quem visitar a exposição encontrará curiosidades, dicas sobre como usar melhor a voz, saberá sobre as doenças mais frequentes, com destaque para o câncer de laringe. Também manteremos as apresentações de beat box (arte de reproduzir sons de bateria e outros instrumentos com a voz), e a participação dos palhaços. Este ano, contaremos com o apoio da UNIFESP, USP e da Faculdade de Medicina do ABC durante a exposição em São Paulo.

Na edição passada, houve uma presença significativa de crianças durante o evento. Podemos dizer que este é o público-alvo da Campanha?

G.K: Nosso foco sempre foi atingir o público de todas as idades. É importante que os adultos conheçam o que é o trato vocal, saibam como a voz é produzida, como se prevenir dos problemas vocais, e qual a importância de procurar um médico otorrinolaringologista em caso de suspeita de alguma doença que acometa a voz. Em 2011, nós tivemos realmente um número expressivo de crianças no evento, e consideramos isto muito interessante. Acho que uma coisa é a criança conhecer o aparelho vocal observando fotos em um livro, e outra, é ter a oportunidade de entrar pela boca, assistir vídeos e conhecer as estruturas de forma prática. Dentro da exposição, ela terá a experiência de vivenciar, tocar, tirar dúvidas, e haverá médicos acompanhando as visitas. Acho que isto é fundamental para o aprendizado!

Haverá atendimentos dos serviços de otorrinolaringologia durante a exposição. Como será esta programação?

G.K: Além da exposição, que acontecerá entre os dias 14, 15, 16 e 17 de abril, estaremos voltados também para os atendimentos, que acontecerão entre os dias 16 a 20 de abril nos serviços credenciados em todo o Brasil. Para isto, é importante contarmos não só com as pessoas que procurarão o serviço, mas também com os colegas otorrinos que poderão se credenciar para participarem dos atendimentos, que acontecerão nos serviços de todo o Brasil. Até o ano passado, os coordenadores precisavam preencher um relatório reunindo os dados levantados, e isto desprendia muito tempo. Nesta edição, este processo se tornará bem mais simples, pois haverá uma equipe da ABORL-CCF que fará o levantamento e análise estatística dos dados computados. Os coordenadores precisarão apenas entregar os formulários preenchidos. Nós antes não tínhamos um levantamento expressivo destes atendimentos, e a partir de agora esperamos ter. Desta forma, teremos base para pleitear, futuramente, algo que precise do apoio do Ministério da Saúde.

Neste ano, a Campanha da Voz contará com o patrocínio da Ferrari Medical. Como funcionará esta parceria?

G.K: A Ferrari Medical nos cedeu gentilmente um kit de laringoscópios rígidos para serem usados durante as cirurgias de laringe. Tivemos então a ideia de sortear este kit para os serviços que participarem dos atendimentos, como uma forma de agradecê-los pela ajuda para o sucesso da nossa iniciativa. O sorteio será feito da seguinte forma: a cada dez atendimentos durante a Campanha, será entregue um cupom. Após a contagem destes cupons, os serviços que prestaram mais atendimentos terão maior chance de serem presenteados com os kit.

Para finalizar, em sua opinião, qual o segredo de sucesso da Campanha da Voz?

G.K: Não tenho dúvidas de que o grande segredo é trabalharmos com uma equipe de amigos atenciosos, que estão sempre dispostos e prontos para ajudar. Faço meus sinceros agradecimentos ao presidente da ABORL-CCF, Dr. Marcelo Hueb, que em nenhum momento mediu esforços para nos auxiliar. Também ao presidente da ABLV, Dr. José Eduardo de Sá Pedroso, que tem expertise de mais de 6 anos na Campanha da Voz e me deu carta branca desde o começo. Agradecer ainda à Air Fly e ao pessoal da Sintonia (assessoria de imprensa) pelo imenso apoio. Estivemos juntos nos momentos fáceis e mais difíceis da Campanha, e acredito que a reunião destes esforços culminará em mais um ano de sucesso absoluto.
Por fim, gostaria de dizer, em nome da ABLV, que estamos à disposição para qualquer esclarecimento sobre a Campanha. Para o sucesso deste projeto, dependemos não só da ABORL-CCF e da ABLV, mas também do apoio dos otorrinos de todo o Brasil, tanto nos atendimentos, quanto na divulgação da Campanha em suas respectivas regiões. Aproveito para convidar os colegas de São Paulo para prestigiarem o evento nos dias da nossa exposição. A visita aos infláveis será também uma oportunidade de reunir os amigos otorrinolaringologistas e colegas de outras supraespecialidades, mostrando a união da nossa ORL.

 

Bookmark and Share